Um brinde à nossas escolhas!

Entre tantas resoluções de ano novo, prometi fazer mais exercícios, estudar mais, levar a vida de uma forma mais leve, fazer mais coisas que me dão prazer, entre tantas outras coisas. Porém a promessa real, foi uma só! Prometi não ter medo, e se tiver, prometi não me deixar paralisar por conta dele!

Eu sei, parece pequeno, parece bobo, parece sem sentido, mas para mim, é um grande passo! Muita gente sofre da mesma coisa, só não tem coragem de falar, coragem de mostrar ao mundo por achar que será menor, e mais fraco. Admitir medo de algo, é como admitir ser fraco. Pelo menos, é como eu enxergava até pouco tempo atrás.

Eu decidi que eu vou enfrentar! Que vou respirar fundo e vou cheia de medos e inseguranças mesmo! Porque esta aqui sou eu. Eu sou um bocado de medo e inseguranças. Eu sou isto ai! E isso não me torna menor que ninguém. Muito pelo contrário, meus medos me tornam um monte de coisas além. Sou a pessoa que confere 3 vezes se fechou a porta, lê o e-mail duas vezes antes de enviar, e checa o horário do voo duas vezes antes de colocar o celular a despertar no minimo três vezes.

Eu sou a pessoa que mesmo sabendo que ficará três dias fora, leva roupas pra cinco dias, caso aconteça um imprevisto. A que tem remédios na bolsa. E que lembra de anotar os aniversários importantes na agenda. Ah, aliás, lembro de anotar tudo e qualquer coisa na agenda, mesmo sabendo que não irei esquecer, porque né? Assim não corro o risco de algo passar em branco.

Eu decidi que meus medos não me controlam mais! Se até aqui, na maioria dos dias eles me tornaram mais forte e responsável, porque preciso deixar que em outros eles me engulam, mastiguem e cuspam? Ainda não entendi como lidar com esse meio termo, e essa coisa que muitas vezes me paralisa e impede de ir adiante.

Essa coisa que me faz guardar abraços, opiniões, ideias (grandes e das boas viu?). Essa coisa que me faz engolir além de palavras sentimentos e me faz parecer fechada e insensível sendo que sou as avessas disso, só por insegurança e medo do que podem pensar, medo de me expor ao ridículo, mas e daí? E daí se a ideia não for das melhores, e se o outro achar o abraço, o beijo ou o elogio meio estranho? Eu fiz a minha parte!

E daí se a viajem der errado, e pegarmos um rota diferente, ou perdermos uma mala e esquecermos o carregador? E daí? E daí se dormirmos mais tarde e perdemos uns cinco minutos pela manhã, pelo menos assistimos aquele filme gostoso em plena segunda feira! E daí? E daí se o mundo me achar uma grande trouxa por perdoar e esquecer coisas que ahhhh meu Deus, eu não deixaria passar! Meu amigo, o importante é ter a alma leve, deitar no travesseiro e ter a consciência que fez o seu melhor no dia de hoje e que o amanhã a Deus pertença!

E é por isso, que pra 2020 e pra vida, eu escolhi deixar de ter medo! E você, escolhe o que?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s